Política

Deputado federal de AL monta estratégia que pode salvar Michel Temer


Edivaldo Júnior
Fonte: www.edivaldojunior.com.br

13/07/2017 08h36

Com a terceira maior bancada da Câmara Federal – atrás apenas do PMDB (63) e PT (58), o PP decidiu fechar questão contra denúncia de Temer. Com isso, os 47 deputados do partido terão de votar a favor do presidente ou poderão enfrentar punições – incluindo a expulsão da legenda.

Em alinhamento com o Palácio do Planalto, a Executiva Nacional do PP decidiu fechar questão pelo voto contrário à autorização para que o STF julgue a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, evitando, assim seu afastamento do cargo.

Quem montou a estratégia que resultou no “fechamento de questão” foi o líder do PP na Câmara dos Deputados, Arthur Lira (AL).

Segundo o “Termômetro da Denúncia Contra Temer”, de O Globo, dos 47 deputados do PP, apenas declaram votar a favor da denúncia, enquanto 14 declaram votar contra. Os demais deputados seguiam, até esta quarta-feira, 12, indecisos.

No resultado geral, o termômetro estava, até às 22h de hoje, com 181 votos a favor, 85 contra 101 indecisos e 145 não respondeu.

Para Temer conseguir se ‘salvar’ serão necessários mais 86 votos. Trinta deles podem ser conseguidos no PP.

Se conseguir garantir todos os votos do partido – ou a maioria deles – Lira pode até perder um pouco de popularidade, mas em contrapartida sairá fortalecido junto ao Palácio do Planalto.

Segundo reportagem da Reuters, o pedido pelo fechamento de questão em favor de Temer foi apresentado pelo líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL), ao presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI). Ciro entendeu que, como 80 por cento da direção partidária é composta pela bancada da Câmara, a decisão terá validade a partir de agora.

Tem mais. Lira retirou da titularidade da CCJ da Câmara o deputado Espiridião Amin (SC), que sinalizou voto pela admissibilidade da denúncia, e colocou o deputado Toninho Pinheiro (MG) no colegiado.

Veja a reportagem da Reuters:

Direção do PP decide fechar questão contra denúncia de Temer

BRASÍLIA (Reuters) – Em sintonia com a articulação do Palácio do Planalto, a Executiva Nacional do PP decidiu fechar questão pelo voto contrário à autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

A decisão do PP significa que os deputados que votarem contra a orientação da cúpula partidária poderão sofrer sanções internas, como até a expulsão do partido.

O pedido pelo fechamento de questão em favor de Temer foi apresentado pelo líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL), ao presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI). Ciro entendeu que, como 80 por cento da direção partidária é composta pela bancada da Câmara, a decisão terá validade a partir de agora.

O líder do PP retirou da titularidade da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara o deputado Espiridião Amin (SC), que sinalizou voto pela admissibilidade da denúncia, e colocou o deputado Toninho Pinheiro (MG) no colegiado.

Leia aqui, na íntegra: https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN19X1TT-OBRTP



Compartilhe